395: Covid-19 pode afinal ser transmitida até 90 dias após o contágio

 

 

SAÚDE/COVID-19/CONTÁGIO

Estudo russo indica que o período de contágio em alguns casos pode ir muito além dos 14 dias. A mesma investigação aponta que uma pessoa sem sintomas pode transmitir o vírus através do nariz neste espaço temporal


A conclusão é de uma grande investigação realizada por cientistas russos do Centro Estatal Véktor de Investigação em Virologia e Biotecnologia. O coronavírus pode ser transmitido até 90 dias após uma pessoa ter sido contagiada, uma informação que contraria o que tem sido a regra geral aplicada, que apontava no sentido de o período de contágio ser de 14 dias.

De acordo com Anna Popova, directora dos serviços federais russos, o organismo de uma pessoa que esteja infectada com covid-19 pode continuar a transmitir o vírus por um período de 90 dias após ter sido contagiada. Segundo a mesma responsável, apoiando-se nas conclusões deste estudo, a transmissão do vírus pode até ocorrer em casos de pessoas que já não têm qualquer sintoma da doença.

Anna Popova, que falava numa sessão de esclarecimento na Academia das Ciências da Rússia, explicou que estudos feitos a pacientes na Rússia indicaram que o período de contágio ia até 48 dias, mas que foram encontrados casos no estrangeiro em que esse período de transmissão do vírus chegou aos 90 dias.

A mesma responsável fez ainda questão de alertar que esta transmissão num espaço temporal até 90 dias não é apenas feita por pessoas que apresentem sintomas. “Uma pessoa que já não apresenta sintomas, que se sente perfeitamente bem e saudável e mesmo que tenha o sangue com todos os indicadores bons, pode continuar a transmitir a covid-19 através do nariz”, explicou.

Anna Popova realçou que não existem até hoje dados suficientes sobre o coronavírus e as suas verdadeiras consequência na saúde humana, mas destacou que neste mesmo estudo do Centro Estatal Véktor de Investigação em Virologia e Biotecnologia, e perante o estudo de 422 amostra, não foi detectado nenhuma mutação significativa do coronavírus.

A Rússia já começou a distribuir a vacina Sputnik-V em várias regiões do país como forma de combate ao covid-19. Nesta primeira fase trata-se de um teste piloto para testar as cadeias logísticas, antes de iniciar uma entrega em larga escala nas próximas semanas.

A vacina russa contra a covid-19 foi a primeira a ser registada no mundo, a 11 de Agosto, e mostrou não produzir efeitos secundários nas duas primeiras fases, embora a terceira ainda não esteja concluída, estando ainda a ser recrutadas as 40 mil pessoas que devem participar nesta fase.

Diário de Notícias

Nuno Fernandes
16 Setembro 2020 — 11:10

 

 

394: Portugal regista mais 425 infectados e quatro mortes por covid-19

 

 

SAÚDE/COVID-19

José Sena Goulão / Lusa

Portugal regista mais quatro mortos e 425 casos de infecção por covid-19 este terça-feira, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direcção-Geral da Saúde (DGS).

Os números revelados no boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS) desta terça-feira indicam que há mais 425 novos casos de covid-19, o que eleva para 65.021 o número total de casos identificados desde o início da pandemia.

Segundo o Expresso, trata-se de um valor abaixo da média dos últimos sete dias (589,4), mas acima da média dos últimos 30 (364).

A região com o maior número de infectados nas últimas 24 horas é Lisboa e Vale do Tejo (mais 227 novas infecções – 53,4%). Seguem-se o Norte (mais 117 casos), o Centro (mais 51), o Algarve (mais 15), o Alentejo (mais 14) e os Açores (mais 1). A Madeira não registou novos casos.

Nas últimas 24 horas, mais uma pessoa com covid-19 foi internada (478). Além disso, há menos dois infectados em unidades de cuidados intensivos (59).

Portugal registou também mais quatro óbitos. Destes, dois foram registados no Norte, um em Lisboa e Vale do Tejo e outro no Algarve. O total de óbitos é agora de 1.875.

Já se encontra disponível o relatório de situação de hoje, 15 de Setembro, que pode ser consultado integralmente em…

Publicado por Direção-Geral da Saúde em Terça-feira, 15 de Setembro de 2020

Nas últimas 24 horas, foram dados como recuperados mais 177 doentes, sendo agora o total de recuperados de 44.784.

Neste momento, há 18.784 doentes portugueses activos a ser acompanhados pelas autoridades de saúde, mais 244 do que segunda-feira. Em vigilância estão 36.758 pessoas.

ZAP //

Por ZAP
15 Setembro, 2020

 

393: COVID-19: Máscara pode ajudar na imunidade? Estudo diz que sim

 

 

SAÚDE/COVID-19

Os números da COVID-19 mantêm-se em crescimento no mundo e o maior produtor de vacinas já revelou que só em 2024 se poderá conseguir ter uma vacina para todos. Enquanto não há solução, a luta contra a COVID-19 passa pela prevenção e pela imunidade de grupo (que será difícil de atingir).

Um estudo recente refere que o uso generalizado de máscara pode ajudar na imunidade.

O mundo está a chegar aos 30 milhões de casos de COVID-19 registados. No que diz respeito a mortos, são já mais de  930 mil à escala mundial. Vacina eficaz ainda não existe, mas são vários os laboratórios a trabalhar numa solução.

De acordo com um estudo da Universidade da Califórnia, o uso generalizado da máscara pode contribuir para a redução do contágio. Além disso, pode contribuir para uma maior imunidade, ao permitir reduzir a carga viral dos infectados.

Uso de máscara é uma forma de variolação

A investigação que deu origem ao artigo “Facial Masking for Covid-19 — Potential for “Variolation” as We Await a Vaccine” foi já publicada na revista científica “The New England Journal of Medicine” e e admite que o uso de máscara poderá não só atrasar a propagação do vírus como converter-se numa forma de “variolação”, ou seja, um forma de se alcançar (mais rapidamente) a imunidade.

Além de prevenir contra a COVID-19, o estudo revela que, de acordo com os dados virológicos e epidemiológicos avaliados, a máscara poderá diminuir a gravidade da doença entre pessoas infectadas.

Segundo o que é revelado pelo EL Mundo, as investigações epidemiológicas que têm sido realizada sobretudo nos países asiáticos, acostumados ao uso da máscara durante a pandemia de SARS em 2003, sugerem que existe um vínculo forte entre o uso da máscara e o controlo da pandemia. A confirmar-se a tese dos investigadores americanos, o uso generalizado de máscara contribuirá, assim, para aumentar a taxa de infecções assintomáticas, além de contribuir para reduzir o número de contágios.

Quebra das cadeias de contágio com a app STAYAWAY COVID

Em Portugal e no mundo é muito difícil registar as cadeias de contágio. Nesse sentido está disponível a app STAYAWAY COVID que, como recurso a tecnologia, permite rapidamente obter essa informação e alertar contactos da exposição.

A STAYAWAY COVID é uma aplicação para smartphones com iOS ou Android que tem como objectivo auxiliar o país no rastreio da COVID-19. A aplicação permite, de forma simples e segura, que cada um de nós seja informado sobre exposições de risco à doença, através da monitorização de contactos recentes. A aplicação é de utilização voluntária e gratuita e não tem qualquer acesso  à sua identidade ou dados pessoais.

App STAYAWAY COVID: 780 mil downloads e 32 já contactaram o SNS

Já instalou a app STAYAWAY COVID? Há quem diga que estamos no início de uma segunda fase da COVID-19. Os números dos últimos três dias não foram propriamente “simpáticos”, mas há que destacar o … Continue a ler App STAYAWAY COVID: 780 mil downloads e 32 já contactaram o SNS

Autor: Pedro Pinto
15 Set 2020

 

388: Restaurantes e cafés a 300 metros da escolas com limite de quatro pessoas por grupo

 

 

SAÚDE/CONTINGÊNCIA/COVID-19

Acompanhe aqui as notícias desta quinta-feira sobre a pandemia de covid-19 em Portugal e no mundo.

O primeiro-ministro António Costa apelou ao cumprimento das regras sanitárias
© HUGO DELGADO/LUSA

10 set14:31
Centros comerciais: não podem estar mais de quatro pessoas por grupo

Os estabelecimentos comerciais só podem abrir depois das dez horas da manhã (com excepções).

Para todos os estabelecimentos – exceptuando a restauração – o horário de fecho situa-se entre as 20 e as 23 horas – nestes casos são as câmaras municipais que determinam o horário de encerramento.

10 set14:26
Transportes: regras mantêm-se. Uso de máscara e higienização

“É preciso jogar com os horários. O comércio geral abrir às dez horas é para evitar ajuntamentos“, diz António Costa.

Por isso o Governo pede também o desfasamento de horários na entrada dos trabalhadores nas empresas.

O teletrabalho é para continuar, também nos serviços públicos, mas tem de haver “um esforço de organização”, pede o primeiro-ministro.

10 set14:23
“Batalha não está ganha”. Uma das linhas vermelhas é o aumento dos óbitos

António Costa diz que a guerra contra a covid-19 não acabou, mas que o país não pode voltar a parar.

Sobre as linhas vermelhas que poderão reverter a situação actual está o aumento do número de óbitos, mas o fecho das escolas não está no horizonte, tal como aconteceu em Março, disse o primeiro-ministro.

10 set14:16
Lisboa e Porto.Teletrabalho vai continuar nas áreas metropolitanas

“É preciso um esforço acrescido” nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.

Mantêm-se nestas regiões as medidas previstas de teletrabalho e ficará em consulta pelos parceiros sociais um conjunto de medidas que visam a organização do trabalho em espelho, por exemplo, entre outras regras, anunciou o primeiro-ministro.

10 set14:12
Lares. Brigadas de emergência vão agir rapidamente em surtos

Serão 18 equipas e estarão todas operacionais até ao final do mês: “são 400 profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico”, anuncia o primeiro-ministro.

Costa recordou que só um por cento dos lares – num universo de 2500 – é que apresentam casos de covid-19.

10 set14:04
Costa: “Vamos entrar numa nova fase”. Limite de quatro pessoas por grupo junto às escolas

A partir do dia 15 de Setembro o estado de contingência é alargado a todo o país. Algumas das regras são:

– Ajuntamentos limitados a 10 pessoas (como já acontecia na Grande Lisboa);

– Ginásios e cabeleireiros abrem só a partir das dez da manhã;

Restaurantes cafés e pastelarias a 300 metros da escolas com limite de quatro pessoas por grupo;

– Autarcas podem decidir a que horas encerram os estabelecimentos (entre as 20 e as 23 horas);

Proibição de venda de álcool nas estações de serviço a partir das 20 horas e em todos os locais, à excepção de restaurantes;

– Proibido também o consumo de álcool na via pública, para evitar ajuntamentos.

O primeiro-ministro disse que as regras não têm cariz moral, “não estamos contra a festa”, mas que são necessárias do ponto de vista da saúde pública.

10 set13:56
Stayaway Covid. Costa pede para ser usada nas escolas, empresas, transportes públicos

Já foram efectuados 735 243 downloads até hoje e António Costa diz que é “muito importante” usar a aplicação nas escolas, empresas, transportes públicos e redacções (comunicação social).

“As informações são anónimas”, ressalva o primeiro-ministro, acrescentado que a maior parte dos novos casos são de pessoas assintomáticas.

Já foram testados mais de dois milhões de portugueses

“Portugal continua a ser um dos países que mais testa os seus habitantes”, diz Costa, justificando que o aumento no número de novos casos também está relacionado com a maior capacidade de testagem.

No dia 8 de Setembro foram realizados 20 527 testes, um número recorde, segundo o primeiro-ministro.

Costa: “Numero de óbitos tem-se mantido estável”

António Costa: “Desde Agosto tem havido um crescimento sustentado de novos casos”, diz o primeiro-ministro, recordando que “o maior número de novos casos na faixa etária “entre os 20 e os 30 anos”

“Números de ontem e de hoje são significativos“, assume Costa.

Um aumento justificado pelo “período de férias e um natural relaxamento do comportamento individual de cada um” alem da mobilidade social desta altura de verão.

As novas regras para o plano de contingência, que entram em vigor a 15 de Setembro, vão ser anunciadas pelo primeiro-ministro.

Diário de Notícias
10 Setembro 2020 — 06:48

 

382: Covid ou gripe? A ordem dos sintomas pode ajudar a distinguir

 

SAÚDE/SINTOMAS/COVID-19/GRIPE

Investigadores norte-americanos estabeleceram uma lista cronológica do aparecimento dos sintomas em caso de contaminação com o coronavírus, o que pode ajudar os médicos a diagnosticar de forma mais correta antes dos testes.

© EPA/FEHIM DEMIR

Depois de o mundo científico se ter dedicado a perceber quais os sintomas associados ao novo coronavírus que provoca as infecções de covid-19, ganha importância também a ordem pela qual aparecem esses sintomas, o que pode ser particularmente útil para os médicos avaliarem de forma mais precoce e eficaz a diferença entre casos de covid e meras gripes comuns.

Segundo o jornal belga LaLibre, investigadores da Universidade da Califórnia do Sul (USC) estudaram os casos de 55 924 pacientes chineses afectados por covid-19 e fizeram uma lista cronológica dos sintomas observados em cada paciente.

O objectivo do estudo passava por estabelecer se a sequência inicial dos sintomas era ou não semelhante em muitos deles. E os resultados, publicados na revista científica Frontiers in Public Health, tendem a provar que realmente existe um padrão semelhante no aparecimento dos sintomas.

Baseado nesse estudo, os investigadores foram, então, capazes de elaborar uma lista dos sintomas de infecção por coronavírus em ordem cronológica:

1) febre
2) tosse
3) dor de cabeça, garganta ou dores musculares
3) náusea e/ou vómito
4) diarreia

Uma ordem que, refere o La Libre, difere daquela que é mais comum em casos de gripe:
1) tosse ou dor muscular
2) dor de cabeça
3) dor de garganta
4) febre
5) náusea e/ou vómito e diarreia

O reconhecimento dessa sequência de sintomas pode ser de particular interesse para os médicos, já que doentes com influenza (gripe sazonal) ou covid-19 são difíceis de distinguir, devido a apresentarem sinais semelhantes (tosse forte, febre).

Ora, segundo estes investigadores americanos, os clínicos gerais podem basear-se na ordem de aparecimento dos sintomas para mais precocemente identificarem os casos de coronavírus, algo particularmente relevante à medida que se aproxima o outono [e o normal aumento de casos de gripe sazonal] no hemisfério norte.

“Saber essa ordem é especialmente importante quando enfrentamos ciclos de doenças como a gripe que coincidem com a pandemia actual”, disse Peter Kuhn, professor de Medicina e Engenharia Biomédica da USC.

Embora a abordagem dos investigadores pareça promissora na distinção entre os dois tipos de infecção, os cientistas alertam para o facto de os sintomas poderem variar de pessoa para pessoa, lembrando que alguns pacientes com covid- 19 não chegam sequer a apresentar qualquer sintoma. De qualquer forma, sublinham, fica um guia orientador que pode ser útil para um diagnóstico mais rápido.

Diário de Notícias
DN
01 Setembro 2020 — 08:44

 

379: País em estado contingência a partir de 15 de Setembro

 

SAÚDE/COVID-19

Lisboa manter-se-á em estado de contingência por mais 15 dias, todo o país entrará neste regime a partir de 15 de Setembro, anunciou esta quinta-feira a ministra de Estado e da Presidência Mariana Vieira da Silva.

“Vamos trabalhar começar a trabalhar essas medidas”, acrescentou lembrando que o páis estará a funcionar de outra forma “de enfrentar este novo momento”.

O que temos visto é um “aumento dos números por toda a Europa”, disse, acrescentando que “nesta quinzena funcionam as mesmas regras e preparemos a quinzena seguinte”.

O governo já aprovou as regras para as escolas “numa situação de estabilidade como a que vivemos”, afirmou a ministra. No entanto, “precisamos de preparar o aparecimento de casos em contexto escolar”.

No dia 7 de Setembro voltam as reuniões do Infarmed – entre responsáveis políticos e especialistas.

Diário de Notícias
27 ago 14:00

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...