315: Dormir a sesta pode salvar vidas. A Ciência explica porquê

 

CIÊNCIA

(CC0/PD) Free-Photos / pixabay

Uma nova investigação, conduzida pelo Hospital Universitário de Lausanne, na Suíça, sugere que tirar uma sesta depois do almoço uma ou duas vezes por semana reduz o stress e a possibilidade de vir a ter um AVC.

De acordo com a BBC, que escreve que este hábito pode mesmo salvar vidas, as sestas reduzem até 48% a probabilidade de vir a sofrer um acidente vascular cerebral.

Para chegar a esta conclusão, os cientistas estudaram 3.462 pessoas com idades compreendidas entre os 35 e os 75 durante cinco anos, tal como explica o novo estudo, conduzido pela cientista Nadine Häusler e publicado na revista científica especializada American Journal of Managed Care (AJMC).

A investigação concluiu que as sestas, quando realizadas entre uma a duas vezes por semana, podem diminuir significativamente o risco de AVC. Contudo, quando este hábito se torna mais frequente – entre 3 a 7 sestas -, os resultados não são tão positivos.

Os participantes que dormiam frequentemente a sesta tinham quase o mesmo risco de AVC do que aqueles que não dormiam. Os voluntários que tiravam entre 3 a 5 sestas semanais tinham apenas menos 12% de probabilidade de sofrer desta mesma patologia, valor que descia para 11% quando as sestas variam entre 6 a 7 semanais.

Tendo em conta os resultados, os cientistas recomendam sestas diurnas de 20 minutos algumas vezes por semana. Tal como observa a emissora britânica, o estudo não foi capaz de obter dados conclusivos em pessoas com mais de 65 anos.

Os especialistas frisam ainda que é ainda prematuro tirar conclusões directas deste estudo sobre as sestas, uma vez que a correlação encontrada não prova a causalidade.

Ainda assim, existem vários estudos que associam o sono insuficiente a doenças do foro cardiovascular. Um artigo publicado em 2007, que estudou o sono de mais de 10.000 funcionários britânicos ao longo de 20 anos, concluiu que os participantes que reduziram o tempo de sono de sete para cinco horas quase dobraram o risco de morte associado a doenças cardiovasculares.

ZAP //

Por ZAP
28 Setembro, 2019

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...