75: Radiação Ultravioleta

 

Quatro regiões de Portugal com níveis extremos – IM

As regiões do Funchal, Guarda, Penhas Douradas e Porto Santo vão registar hoje um valor “extremo” de radiação ultravioleta, pelo que a população deve evitar a exposição ao sol, informou o Instituto de Meteorologia (IM).

De acordo com a mesma fonte, 21 outras regiões, das 27 analisadas pelo IM, vão apresentar um valor “muito alto” de radiação ultravioleta (UV), com valores que variam entre os índices oito e dez.

Com o nível “muito alto”, o IM aconselha a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, t-shirt, guarda-sol e protetor solar, sublinhando igualmente que se deve evitar a exposição das crianças ao sol.

In Destak online
Destak/Lusa | destak@destak.pt
25 | 06 | 2012 08.38H

– Um comentário a este artigo, no online Destak, é transcrito de seguida mas antes, e em ordem a esse mesmo comentário que tem algo de verdadeiro, captei várias imagens daqueles aviões que de vez em quando cruzam os céus deixando rastos que nada têem a ver com a velocidade a que voam nem com outras situações. Já tinha lido em vários blogues e fóruns sobre os chamados “CHEMTRAILS”, ou seja, a denúncia que o rasto destes aviões tem a ver com produtos químicos que são lançados na atmosfera para experiências de vária ordem, nomeadamente climáticas mas que, pela sua natureza, poluem a atmosfera e originam doenças respiratórias e cancerígenas. O facto é que já tive conhecimento de pessoas com asma crónica grave que sempre avistam esses rastos brancos nos céus, o seu estado de saúde piora consideravelmente e só depois de alertadas para o facto, ligam essas “nuvens” ou “rastos”, com o agravamento do seu estado. Deixo também umas imagens desses rastos que captei ainda este ano e caso curioso, é sempre quando o céu se encontra limpo de nuvens…

– Os porquitos da geoengenharia, provavelmente com ligações também tanto a quem controla o espaço aéreo dos países como aos responsáveis da meteorologia, quem sabe se através do pagamento de favores ou mesmo dinheiro grosso, parece que desde há dois dias abandonaram o ataque às populações indefesas. Há dois dias o céu está naturalmente limpo. Mas atenção, esses porquitos não desistem, pelo menos enquanto as pessoas não os apanharem e acenderem os fornos para fazerem churrasco dos porquitos, envenenadores de populações pela calada. Quando eles voltarem à carga, vamos todos ver de novo no céu os rastos dos seus aviões, nuvens artificiais a formarem-se e as temperaturas a descerem vertiginosamente, e os jornais e as TVs deles a dizerem que é da “alteração climática”. Há que investigar profundamente o que se está a passar a esse nível, e ver até que ponto as próprias empresas que vivem da energia da água estarão também envolvidas, assim como quem se dedica à industria da dita “protecção civil”.
DEFENDAM PORTUGAL! | 25.06.2012 | 13.37H

Chemtrails

Chemtrails

Chemtrails

Chemtrails

Chemtrails

Chemtrails

Chemtrails

Chemtrails

Chemtrails

29: Doenças respiratórias matam 40 pessoas por dia em Portugal

 

imagem: Alexandre Almeida/Kameraphoto

A maioria dos Centros de Reabilitação Respiratória funciona no litoral, dificultando o acesso dos doentes do interior a tratamentos de reabilitação das doenças respiratórias, que matam 40 pessoas por dia em Portugal, alertou a associação Respira.

De acordo com a presidente da Associação Portuguesa de Pessoas com DPOC e outras Doenças Respiratórias Crónicas (Respira), Luísa Soares Branco, há falta de centros de reabilitação respiratória destinados a pessoas que sofrem de DPOC e outras doenças respiratórias crónicas, como a asma e a bronquite alérgica.

De acordo com dados da associação, que na quinta-feira celebra cinco anos de existência, “existem apenas 12 centros para 100 mil doentes diagnosticados e cerca de outros 1.500.000 mil doentes estimados”.

Luísa Soares Branco lembrou ainda que a distribuição geográfica também é problemática, uma vez que os centros se localizam maioritariamente no litoral, dificultando o acesso à terapêutica: “actualmente, existem centros apenas em Braga, Guarda, Coimbra, Lisboa e no Porto”, exemplificou.

Sem acesso aos centros, “a maioria das pessoas é tratada do ponto de vista farmacológico, mas não faz reabilitação respiratória. A reabilitação não põe as pessoas a respirar melhor, mas dá mais força para desempenhar as tarefas e permite aprender a gerir a parte respiratória”, explicou.

De acordo com a presidente da Respirar, ao aprender a controlar a respirar, evita-se as idas às urgências. Luísa Soares Branco diz que esta aprendizagem significa uma diminuição “para cerca de metade de episódios de agudização”.

A presidente lembra que as doenças respiratórias são a principal causa de ida às urgências e que matam 40 pessoas por dia em Portugal, afectando mais de 30% da população nacional.

“É urgente criar condições de igualdade de acesso a esta modalidade terapêutica para todos os doentes. Não podemos aceitar que só os doentes dos grandes centros urbanos tenham possibilidade de beneficiar deste acompanhamento”, defendeu a presidente.

No 5ºaniversário da associação, os CTT vão lançar um selo comemorativo da Respira que tem como mote “Para que não se sinta só a respirar”.

In i online
Por Agência Lusa
publicado em 8 Fev 2012 – 16:53

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...