1289: OMS estima mais 700.000 mortes na Europa até à Primavera

SAÚDE PÚBLICA/PANDEMIA/COVID-19/MORTES

De acordo com o Instituto de Indicadores e Avaliação de Saúde, responsável por fornecer dados à OMS, a covid-19 é actualmente a principal causa de morte na região europeia.

Hans Kluge, Diretor Regional da OMS Europa
© ALEXANDER ASTAFYEV / SPUTNIK / AFP

A doença covid-19 poderá provocar mais cerca de 700.000 mortes na Europa até à primavera se a tendência actual de contágios continuar, alertou esta terça-feira a delegação regional da Organização Mundial da Saúde (OMS).

As projecções da OMS sugerem que 25 países da região europeia que a organização do sistema das Nações Unidas avalia composta por 53 Estados da Europa e da Ásia Central correm o risco de registar falta de camas hospitalares e 49 terão, até Março, uma situação de grande ou extrema sobrecarga dos serviços de cuidados intensivos.

“Para conviver com este vírus e continuar com o nosso dia-a-dia, precisamos de uma abordagem que ultrapasse a vacina. Isto significa receber as doses padrão [da vacina] e um reforço, se facultado, mas também incorporar medidas preventivas nas nossas rotinas”, afirmou o director regional da OMS Europa, Hans Kluge, em comunicado divulgado esta terça-feira.

Entre estas medidas, o responsável aponta o uso de máscaras de protecção individual em espaços fechados, a higienização das mãos, a ventilação dos espaços, a manutenção do distanciamento físico ou o hábito de tossir para o antebraço.

Estes gestos ajudam a “evitar tragédias desnecessárias e perdas de vidas”, além de limitarem os transtornos na sociedade, sublinhou o director da OMS Europa.

A organização defende ainda a combinação dessas medidas com intervenções de saúde pública, como a implementação do certificado covid-19 (documento que comprova que a pessoa foi vacinada ou fez um teste com resultado negativo nas 48 horas anteriores), o isolamento de quem tem sintomas, a realização de testes de rastreio e a aplicação de quarentenas.

A região europeia continua “muito sujeita” à pandemia, destaca a OMS.

Na semana passada, o número de mortes diárias duplicou, para as 4.200, e o número de vítimas mortais desde o início da pandemia ultrapassou 1,5 milhões de pessoas, podendo este valor, de acordo com as projecções actuais, crescer para 2,2 milhões até à primavera.

De acordo com o Instituto de Indicadores e Avaliação de Saúde, responsável por fornecer dados à OMS, a covid-19 é actualmente a principal causa de morte na região europeia.

A rápida transmissão do novo coronavírus deve-se, segundo a organização, a vários factores: o domínio da variante Delta (estirpe do coronavírus SARS-CoV-2 mais contagiosa e perigosa), o levantamento das restrições em todos os países, a descida das temperaturas e o consequente aumento de reuniões em espaços fechados e o grande número de pessoas ainda não vacinadas.

Mais de 1.000 milhões de doses foram administradas na região, onde 53,5% da população total já completou o esquema vacinal, mas o número implica grandes diferenças entre países: enquanto alguns ultrapassam os 80% da população vacinada, outros não chegam aos 10%.

Por isso, a OMS lembra que as vacinas “são fundamentais” para prevenir a forma mais grave da doença e a morte, e alerta que é necessário aumentar as taxas de imunização, tendo em conta que tudo indica que a protecção proporcionada pela vacinação está a diminuir.

“Neste contexto, deve ser dada uma dose de reforço a todos aqueles que são mais vulneráveis, dando prioridade aos imuno-deprimidos. Dependendo do contexto nacional de disponibilidade de doses e da situação da epidemia, os países também devem considerar administrá-la aos maiores de 60 anos e aos trabalhadores do sector da saúde”, conclui a OMS.

Diário de Notícias
Lusa
23 Novembro 2021 — 14:37

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1288: Pastilha elástica reduz carga viral em mais de 95%

SAÚDE PÚBLICA/PANDEMIA/COVID-19

Investigadores da Universidade de Pensilvânia apresentam nova fórmula no combate à covid-19

Uma pastilha elástica experimental, contendo uma proteína que “retém” as partículas do coronavírus, pode limitar a quantidade de vírus na saliva e ajudar a conter a transmissão do SARS-CoV-2 quando as pessoas infectadas estão a falar, a respirar ou a tossir, acreditam investigadores da Universidade da Pensilvânia, nos EUA.

A pastilha elástica contém cópias da proteína ACE2 encontrada na superfície das células e que o vírus usa como porta de entrada para invadir as células e infectá-las. Em experiências de laboratório usando amostras de saliva e esfregaços de indivíduos infectados, as partículas de vírus ligaram-se aos “receptores” ACE2 na chiclete. Como resultado, a carga viral nas amostras caiu mais de 95%, informou a equipa de investigadores Universidade da Pensilvânia, num estudo publicado na revista científica Molecular Therapy e citado pela agência Reuters.

Com o sabor de uma pastilha elástica de mascar convencional, pode ser armazenada por anos em temperaturas normais e a mastigação não danifica as moléculas da proteína ACE2, garantem os cientistas. O uso da pastilha elástica para reduzir a carga viral na saliva, sugerem, aumentaria o benefício oferecido pelas vacinas e seria particularmente útil em países onde as vacinas ainda não estão disponíveis ou são escassas.

Diário de Notícias
DN
23 Novembro 2021 — 14:39

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1287: Mais 14 mortes e 2.560 casos de covid-19 nas últimas 24 horas

– Estatísticas de hoje, Terça-feira:

23.11.2021 – 2.560 infectados – 14 mortos
22.11.2021 – 1.475 infectados – 18 mortos

Total da semana: 4.035 infectados – 32 mortos

SAÚDE PÚBLICA/PANDEMIA/COVID-19/INFECÇÕES/MORTES

Estão agora internadas 649 pessoas devido à covid-19, segundo os dados da Direcção-Geral da Saúde.

Campanha de vacinação contra a covid-19 no Pavilhão António Feliciano Bastos, na Amadora
© ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Foram registadas, em 24 horas, mais 14 mortes e 2.560 novos casos de covid-19 em Portugal, segundo o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS), no dia em que o primeiro-ministro, António Costa, começou a ouvir os partidos com representação parlamentar antes de o Governo anunciar novas medidas de combate à pandemia.

No que se refere à situação nos hospitais, o relatório da DGS desta terça-feira (23 de Novembro) dá conta de 649 pessoas internadas, mais 21 do que ontem, das quais 93 estão em unidades de cuidados intensivos (o mesmo número da véspera)

Ao dia de hoje, Portugal soma 45770 casos activos da doença, indica ainda a autoridade nacional de Saúde, um aumento de 11 casos em relação ao dia anterior.

A região com mais novos casos foi Lisboa e Vale do Tejo, com 831, seguindo-se

Governo pondera certificado e teste para bares, discotecas e grandes eventos, diz Chega

À saída da audição com o primeiro-ministro, o presidente do Chega afirmou que o Governo pondera exigir o uso simultâneo de “certificado e de teste obrigatório” para a entrada em bares, discotecas e grandes eventos, com a restauração com obrigatoriedade de certificado.

“Ficámos com a ideia de que o Governo poderá vir a exigir, em alguns espaços, por exemplo discotecas, ou bares, ou grandes eventos com grande presença massiva de pessoas, por exemplo eventos desportivos, dois instrumentos de controlo cumulativos: uso de certificados e o teste obrigatório até 48 horas antes”, disse André Ventura.

Segundo o líder do Chega, o executivo não irá impor a mesma medida para a restauração, sendo que, nesse caso, será apenas exigido o certificado “independentemente do dia e da hora”.

Sobre a utilização da máscara, André Ventura disse que, segundo a sua percepção, o Governo “não está inclinado” para “impor o uso obrigatório na rua, a toda a hora”.

IL diz que Governo não tenciona voltar a confinar actividades económicas

Já a Iniciativa Liberal saudou o facto de o Governo não pretender voltar a confinar as actividades económicas devido à pandemia com restrições como impôs no passado, divergindo sobre a possível exigência de certificados ou testes sem decisão dos promotores.

“Fiquei agradado com o facto de não haver da parte do Governo a intenção de voltar a confinar as actividades económicas e proceder a restrições idênticas às que já tivemos no passado”, disse o presidente da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo. Para os liberais, “outro ponto positivo foi o facto de, pela primeira vez, aquilo que o Governo que tem designado por auto-avaliação de risco ter um papel bastante mais importante do que teve no passado”.

As divergências tiveram a ver com o facto de o Governo continuar a achar que é uma possibilidade exigir certificados ou testes para determinadas actividades sem que isso seja decidido pelos próprios promotores dessas actividades, mas sim imposto centralmente”, criticou.

Costa recusa antecipar novas medidas. “Quinta-feira falarei”

Antes de começar com as audições, António ​​​Costa não quis antecipar medidas de combate à pandemia, referindo que “hoje é dia de ir ouvir os partidos”, o que vai continuar a fazer amanhã. “Quinta-feira falarei”, disse o primeiro-ministro aos jornalistas.

Costa está hoje e quarta-feira a ouvir os partidos com representação parlamentar sobre a situação epidemiológica em Portugal, num momento em que o país regista um crescimento das taxas de incidência e de transmissão, R(t), da covid-19, antes de o Governo aprovar medidas contra a covid-19, o que poderá acontecer no Conselho de Ministros de quinta-feira..

Diário de Notícias
DN
23 Novembro 2021 — 15:04

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1286: Lisboa vai ter o maior centro de vacinação do país a partir de 1 de Dezembro

– E dizem os reaças da pseudo-esquerda nacional assim como os seus amigalhaços da extrema-direita fascista que o SNS está um caos… No caos vivem eles que em vez de apresentarem os seus programas andam a disparar interna e externamente, uns contra os outros. Que miséria de políticos e de partidos…!!!

SAÚDE PÚBLICA/VACINAÇÃO

Centro de vacinação vai funcionar no pavilhão 4 da Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações, e duplicará a capacidade de vacinação da cidade

A Câmara Municipal de Lisboa vai abrir o “maior centro de vacinação do país” a 1 de Dezembro, anunciou o edil Carlos Moedas durante a cerimónia de lançamento da CNN Portugal.

Esse centro de vacinação vai funcionar no pavilhão 4 da Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações, e segundo o autarca vai duplicar a capacidade de vacinação da cidade.

De acordo com Moedas, a vacinação contra a covid-19 vai chegar aos seis mil utentes por dia. “Se juntarmos a vacina da gripe, podemos mesmo chegar às nove mil pessoas por dia”, acrescentou.

O presidente da Câmara de Lisboa diz que este centro de vacinação vai trazer “grandes vantagens, dando mais conforto às pessoas”.

Segundo dados divulgados pela DGS no domingo, Portugal já administrou cerca de 1.561.000 doses de vacina contra a gripe (incluindo cerca de 400 mil em farmácias) e mais de 750 mil doses de reforço e adicionais da vacina contra a COVID-19.

Diário de Notícias
DN
22 Novembro 2021 — 21:34

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes