1053: Estes são os ‘novos’ efeitos secundários das vacinas AstraZeneca e Janssen

SAÚDE PÚBLICA/VACINAS/ASTRAZENECA/JANSSEN

Regulador europeu actualizou esta terça-feira a lista de efeitos secundários potencialmente associados às vacinas contra a Covid da AstraZeneca e da Janssen.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês) actualizou esta terça-feira a lista de efeitos secundários potencialmente associados às vacinas contra a Covid da AstraZeneca e da Janssen.

O regulador europeu acrescentou a síndrome de Guillain-Barré (GBS) — uma doença inflamatória do sistema nervoso periférico que pode levar à perda temporária de movimentos ou dificuldades em respirar –, como um possível efeito secundário da vacina da AstraZeneca. Em causa estão 833 casos de GBS reportados até 31 de Julho em 592 milhões de doses administradas da vacina anglo-sueca em todo o mundo até 25 de Julho.

No documento, a entidade liderada por Emer Cooke classifica esta síndrome como um efeito secundário “muito raro” (ocorre em 1 em cada 10.000 de pessoas), ou seja, a menor classificação em termos de reacções adversas. Além disso, o regulador europeu sublinha que os benefícios da administração da vacina continuam a superar os riscos.

Esta decisão surge depois de também a Food and Drug Administration ter acrescentado um alerta sobre a síndrome de Guillain-Barré como um possível efeito secundário da vacina da Janssen. Estas duas vacinas usam a mesma tecnologia e já tinham sido associadas à formação de coágulos sanguíneos raros.

Recorde-se que no último relatório de reacções adversas, o Infarmed notificou um caso confirmado de Síndrome de Guillain-Barré, associado à vacina da Janssen, quatro casos considerados “prováveis” (dois potencialmente associados à vacina Janssen e outros dois à Vaxzevria) e outros dois casos considerados “possíveis” (Janssen).

Além disso, a EMA identificou ainda alguns outros efeitos secundários menos graves potencialmente associados à vacina da Janssen, como gânglios linfáticos inchados, sensação incomum ou diminuída na pele, zumbido, diarreia e vómitos.

ECO Sapo
Joana Morais Fonseca
17:29

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1052: PSP vai avançar com queixa-crime contra o juiz negacionista

– Porque tem a ver com saúde pública, infracções às regras sanitárias de uso de máscara e distanciamento físico, publico esta notícia que demonstra, sem qualquer dúvida, até onde chega a acefalia de indigentes intelectuais e morais deste país, face à pandemia do coronavírus SARS-CoV-2, COVID-19 e seus derivados.

SOCIEDADE/SAÚDE PÚBLICA/QUEIXA-CRIME

Facebook
Rui Fonseca e Castro

A Polícia de Segurança Pública (PSP) vai avançar com uma queixa-crime contra o juiz negacionista, que esta terça-feira falou de forma insultuosa com os agentes que faziam o cordão de segurança numa manifestação em frente ao Conselho Superior da Magistratura (CSM).

Esta terça-feira à tarde, o juiz Rui Fonseca e Castro, que está suspenso de funções, foi ouvido no Conselho Superior da Magistratura, onde falou de forma insultuosa com os elementos do órgão de disciplina.

À porta destas instalações, o negacionista também se dirigiu de forma provocatória aos agentes da PSP que faziam o cordão de segurança, depois de estes lhe terem pedido para colocar a máscara e para incentivar os seus apoiantes a fazerem o mesmo.

“Devido aos comportamentos do Sr. Juiz Rui Fonseca e Castro, aquando da sua interacção com os polícias que ali se encontravam de serviço, a cumprir a sua missão, a PSP participará, ainda hoje, às entidades judiciárias competentes os factos ocorridos”, referiu a PSP, citada pelo semanário Expresso.

De acordo com a mesma polícia, os comportamentos do juiz “tiveram o aparente objectivo de provocar os polícias em serviço, que, no entanto, mantiveram uma postura profissional, calma e serena, própria de quem está ciente da sua missão, o que se salienta e enaltece”.

Além do juiz, a PSP salientou que se verificou “o incumprimento das regras em vigor para a prevenção da disseminação da pandemia”, pelo que “adoptará as diligências necessárias para a identificação dos infractores, a fim de proceder ao levantamento dos respectivos autos por contra-ordenação”.

O magistrado está suspenso temporariamente de funções, punição que termina em meados de Novembro. O CSM terá de decidir se poderá voltar ao activo ou se será expulso da magistratura.

Após ameaçar polícias, juiz negacionista insultou membros do Conselho da Magistratura (e pode ser expulso)

O juiz negacionista da covid-19, Rui Fonseca e Castro, foi ouvido, nesta terça-feira, no Conselho Superior da Magistratura (CSM) e…

Ler mais

ZAP //

Por ZAP
8 Setembro, 2021

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1051: ASAE fecha discoteca com 200 pessoas a funcionar ilegalmente em Vila Real

SAÚDE PÚBLICA/ASAE/TRANSGRESSÕES/PANDEMIA

De acordo com a ASAE, “o estabelecimento estava a funcionar com espaço destinado a dança, encontrando-se cerca de 200 pessoas sem equipamento de protecção individual (máscaras) e não cumprindo as regras de distanciamento social”.

Uma discoteca com cerca de 200 pessoas foi encerrada pela ASAE em Vila Real, por se encontrar a funcionar ilegalmente, nomeadamente sem uso de máscara e distanciamento social por parte dos ocupantes, divulgou esta quarta-feira aquele organismo.

A fiscalização da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE) a este estabelecimento decorreu “no passado fim de semana”, realizada pela unidade regional do Norte da ASAE – unidade operacional de Mirandela, em colaboração com a GNR, segundo informa em comunicado.

Da operação resultou a suspensão de actividade do estabelecimento de restauração e bebidas “por incumprimento das regras de ocupação, permanência e distanciamento físico, no quadro das medidas de prevenção de riscos de contágio decorrentes da pandemia da doença covid-19, bem como por incumprimento de requisitos gerais e específicos de higiene”.

De acordo com a ASAE, “o estabelecimento estava a funcionar com espaço destinado a dança, encontrando-se cerca de 200 pessoas sem equipamento de protecção individual (máscaras) e não cumprindo as regras de distanciamento social”.

“Verificou-se ainda que no estabelecimento eram confeccionadas refeições e preparadas bebidas sem que fossem cumpridos os requisitos básicos de segurança alimentar, nomeadamente de higiene”, acrescenta.

Os inspectores observaram ainda “a ausência de janelas e portas, tecto em placas de sanduíche sem isolamento, falta de protecção contra animais e insectos, estruturas inacabadas, equipamento com ferrugem”.

Segundo o relato da entidade fiscalizadora, os géneros alimentícios para as refeições servidas no local estavam acondicionados “no exterior do estabelecimento ao ar livre e sem implementação do sistema HACCP (Análise de Perigos e Controlo de Pontos Críticos)”.

Segundo a informação divulgada, “verificou-se ainda que a água utilizada na confecção e higienização dos alimentos e materiais não era, aparentemente, da rede pública, não tendo sido demonstrada evidências da potabilidade da mesma”.

O representante do estabelecimento “foi notificado da referida suspensão da actividade, tendo sido advertido de que o não cumprimento imediato da ordem de suspensão ou a sua violação posterior constitui a prática de crime de desobediência”, segundo a ASAE.

Diário de Notícias
Lusa
08 Setembro 2021 — 13:37

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1050: Surto em festas em Santa Cruz aumenta para 52 infectados

SAÚDE PÚBLICA/COVID-19/INFECÇÕES/ACÉFALOS

© Praia da Física, em Santa Cruz, Torres Vedras.© Orlando Almeida / Global Imagens

O surto associado à participação em festas de diversão nocturna na praia de Santa Cruz subiu de 46 para 52 infectados nas últimas 24 horas

O surto de covid-19 associado à participação em festas de diversão nocturna na praia de Santa Cruz, no concelho de Torres Vedras, aumentou para 52 infectados, segundo o boletim epidemiológico hoje divulgado, e não está circunscrito.

O surto subiu de 46 para 52 infectados nas últimas 24 horas, de acordo com o boletim divulgado pelo município a partir de informação reportada pelas autoridades locais de saúde.

Fonte oficial da autarquia explicou que “o surto não está circunscrito a um local específico e pode evoluir”, com um potencial de atingir 76 pessoas.

Os casos activos associados têm idades entre os 15 e os 25 anos e 24 contactos de risco directos encontram-se em vigilância pelas autoridades de saúde.

Segundo a mesma fonte, o contágio aconteceu no último fim de semana de Agosto, durante uma festa privada com cerca de 60 pessoas e em festas ocorridas em pelo menos três bares de diversão nocturna, que se mantêm abertos, uma vez que não há funcionários afectados.

Os primeiros casos foram detectados, no início dessa semana, entre um grupo de amigos que se juntaram na praia e na piscina e que frequentaram um bar.

Contagiaram depois outros cidadãos que, por sua vez, infectaram outros em festas ocorridas em pleno menos outros dois bares de diversão nocturna, de acordo com a investigação efectuada pelas autoridades de saúde aquando do inquérito epidemiológico.

Desde o início da pandemia, Torres Vedras, no distrito de Lisboa, contabiliza 6.950 casos confirmados, dos quais 148 estão activos. Outras 6.626 pessoas recuperaram e 176 morreram, de acordo com o boletim epidemiológico.

A covid-19 provocou pelo menos 4.574.225 mortes em todo o mundo, entre mais de 221,13 milhões de infecções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde Março de 2020, morreram 17.816 pessoas e foram contabilizados 1.048.941 casos de infecção confirmados, segundo dados da Direcção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e actualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

Diário de Notícias
Lusa
08 Setembro 2021 — 10:31

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1049: DGS recomenda uso de máscara no recreio das escolas, eventos e em ajuntamentos

– Uma informação que devia ser encaixada por todos os negacionistas, pelos Walking Deads, pelos acéfalos intelectuais e morais, pelos labregos que assumem esta PANDEMIA MUNDIAL como uma “gripezinha” sem importância. O número de INFECTADOS e de MORTOS representam bem a triste realidade no pós-Março de 2020. E disse um epidemiologista: “… as vacinas reduzem as infecções, mas, alerta: “não significa que não possam existir casos”, nem que quando uma pessoa vacinada tem uma infecção, das poucas vezes que isso acontece, possa transmiti-la”. Dias consecutivos com mais de MIL INFECTADOS não diz nada a esta gente?

SAÚDE PÚBLICA/MÁSCARAS/VACINAÇÃO/INFECÇÕES

© JOÃO RELVAS/LUSA

Especialista da DGS defende “flexibilização das medidas”, como o uso de máscara

Após a intervenção de Graça Freitas, falou Pedro Pinto Leite, chefe de divisão de Epidemiologia e Estatística da DGS. O especialista referiu a redução dos casos de infecção por 100 mil habitantes a cada 100 dias.

Seguiu-se Valter Fonseca, coordenador da Comissão Técnica de Vacinação contra a covid-19. O especialista indica que “Portugal tem uma posição cimeira em matéria de vacinação”.

Este especialista refere que as vacinas reduzem as infecções, mas, alerta: “não significa que não possam existir casos”, nem que quando uma pessoa vacinada tem uma infecção, das poucas vezes que isso acontece, possa transmiti-la”.

“Tudo isto permite-nos hoje ter a sustentação na evolução para uma flexibilização das medidas como utilização de máscara“, disse Valter Fonseca.

Diário de Notícias
08 Set 10:18
Por Susete Henriques

“Cada um de nós deve ser portador de uma máscara” e em caso de necessidade deve usá-la, diz Graça Freitas

A directora-geral da Saúde disse que em relação à utilização das máscaras em espaço exterior há que ter em conta “o racional da transmissão do vírus”. Graça Freitas disse que a recomendação vai no sentido de que em aglomerados e em situações especificas, como recreios na escola, eventos, a mobilidade em determinados sítios nas cidades que origina ajuntamentos, isso poderá constituir uma excepção, “uma recomendação diferente porque permite o contacto directo entre as pessoas e portanto permite transmissão”

“Cada um de nós deve ser portador de uma máscara e em caso de necessidade essa máscara deve ser colocada”.

“Vamos adaptar a orientação da DGS e vamos fazer campanhas dos motivos, dos objectivos e das excepções”, acrescentou.

Diário de Notícias
08 Set 09:55
Por Susete Henriques

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes

 

1048: Peritos da DGS vão ser ouvidos na quarta-feira no parlamento sobre uso de máscaras

– Uma das muito poucas coisas ou quase nenhumas que alinho com o PPD/PSD: “… a manutenção ou fim do uso de máscara “não é exclusivamente do foro político, uma vez que pode ter consequências para a saúde pública, pelo que deve ser tomada com sustentação científica”“. Nem mais! Deixem essa decisão para quem tem conhecimentos na área da saúde pública!

SAÚDE PÚBLICA/MÁSCARAS/PERITOS DE SAÚDE

Grupo de Epidemiologia da Direcção-Geral da Saúde vai ser ouvido a sequência de um requerimento do PSD aprovado esta terça-feira

O Grupo de Epidemiologia da Direcção-Geral da Saúde (DGS) vai ser ouvido na quarta-feira no parlamento sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras, na sequência de um requerimento do PSD aprovado esta terça-feira, disse à Lusa uma fonte parlamentar.

Segundo a informação que consta no site da Assembleia da República, a audição dos peritos da DGS está prevista para 09:00 de quarta-feira.

O requerimento do grupo parlamentar do PSD para uma audição urgente dos especialistas da DGS, apresentado em 21 de Agosto, foi aprovado esta terça-feira na Comissão Eventual para o acompanhamento da aplicação das medidas de resposta à pandemia da doença COVID-19 e do processo de recuperação económica e social.

No requerimento, o grupo parlamentar do PSD sustenta que a decisão sobre a manutenção ou fim do uso de máscara “não é exclusivamente do foro político, uma vez que pode ter consequências para a saúde pública, pelo que deve ser tomada com sustentação científica”.

Nesse sentido, pediu a audição dos peritos da DGS que têm participado nas reuniões do Infarmed, “que têm contribuído para sustentar cientificamente a tomada de decisão política do Governo”.

O pedido do PSD surgiu um dia depois de a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, ter afirmado que o fim do uso obrigatório de máscara nos espaços públicos será decidido na Assembleia da República.

Na conferência de imprensa após um Conselho de Ministros extraordinário, Mariana Vieira da Silva lembrou que o fim da obrigatoriedade do uso de máscara na segunda fase de desconfinamento não depende dos técnicos.

Para o PSD, “é de extrema importância que esta audição ocorra antes de dia 12 de Setembro, data em que deixa de estar em vigor a lei que obriga ao uso de máscaras”.

Na segunda-feira, fonte da bancada parlamentar do PS disse à Lusa que o partido não vai propor no parlamento a renovação da obrigatoriedade do uso de máscara nos espaços públicos exteriores, diploma cuja vigência cessa no próximo dia 12, uma posição que disse ser coincidente com a da Direcção-Geral da Saúde.

Também, em declarações à TSF, o presidente do Grupo Parlamentar do PSD, Adão Silva, afirmou que só um agravamento súbito da pandemia de covid-19 nos próximos dias impediria os sociais-democratas de defender o fim das máscaras na rua.

Esta terça-feira, o presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, disse concordar “integralmente” com o fim da obrigatoriedade do uso da máscara na rua, considerando “elementar” que, depois de sucessivos adiamentos, a circulação possa fazer-se “livremente”.

O diploma que se encontra em vigor sobre obrigatoriedade do uso de máscara em espaços públicos foi promulgado pelo Presidente da República em 11 de Junho, por um período de 90 dias.

A covid-19 já matou em Portugal, desde Março de 2020, 17.816 pessoas e foram contabilizados 1.048.941 casos de infecção confirmados, segundo dados da Direcção-Geral da Saúde.

Diário de Notícias
DN/Lusa
07 Setembro 2021 — 19:44

© ® inforgom.pt e apokalypsus.com são domínios registados por F. Gomes