22: Homenagem ao Senhor Capitão de Artilharia Luís Ascensão Esteves

5.00 avg. rating (93% score) - 1 vote

Chefe da Secretaria da CCS do Batalhão de Caçadores 2834, tive a Honra de servir sob as ordens dele, na altura com o posto de Tenente, entretanto já falecido, e que demonstrou sempre respeito, amizade e uma enorme camaradagem como Oficial, para com os subordinados que com ele trabalharam diariamente durante a Comissão de Serviço na ex-colónia da Guiné-Bissau de Janeiro de 68 a Novembro de 69.

Recebi hoje um e-mail do seu Filho que bastante me emocionou, não só com o texto mas com o envio de uma fotografia do seu Pai com o 1º. Cabo Escriturário Luís Neto, também um dos camaradas que trabalhou comigo e com o Senhor Capitão (Tenente) naquela CCS do BCaç.2834.

Aqui fica mais uma lembrança dessa época:

14: Mais uma humilhação para os ex-Combatentes

1.00 avg. rating (53% score) - 1 vote

facebook02042014

José Alberto Morais da Silva, Coronel Piloto Aviador na Reforma, vem, por este meio, protestar contra a vergonha e humilhação por que fez passar os Antigos Combatentes vergonha quando da visita de V. Excelência a Moçambique!

Por certo que sabia ou se não sabia, alguém do luzidio séquito que o acompanhou na visita deveria ter-lhe dito, que havia um cemitério no Maputo onde estão os restos mortais de vários Militares Portugueses que perderam a vida nos combates em Moçambique durante a guerra do Ultramar.

Era sua obrigação, como Primeiro Ministro de Portugal ter ido prestar homenagem aos nossos mortos em combate.

Mas V. Excelência, do alto dos seus altos conhecimentos da arte de ser político ou por não ter cumprido Serviço Militar e, portanto, não saber bem o que significa a palavra Patriotismo, decidiu prestar homenagem aos mortos do nosso adversário nessa guerra, deixando no esquecimento aqueles que perderam a vida numa guerra que justa ou injusta, foi uma guerra em que perderam a vida alguns milhares de Militares Portugueses.

Este acto de V. Excelência foi mais uma desconsideração e humilhação para os Militares deste País e poderá V. Excelência ficar a saber que 1.300.000 Portugueses, Antigos Combatentes também não esquecerão a afronta cometida pelo Primeiro Ministro de Portugal.

José Alberto Morais da Silva
Coronel da Força Aérea na Reforma
BI. 000201B

Facebook

(Nota) – Este PM odeia os Portugueses e Portugal. O pai dele confirmou isso na entrevista que deu. Considerou que não se revê neste Portugal que o encontrou «sujo e imundo», talvez por trazer na bagagem a memória de uma Angola «florida e limpa»… Isto diz tudo. Mas se este Portugal se encontra “sujo e imundo”, deve-o TOTALMENTE a políticos da estirpe de Pedro Passos Coelho e de TODOS os que anteriormente desgovernaram o País no pós 25’Abr’74. Não sei é porque esta família não regressa à terra que tanto ama e pedem nacionalidade angolana… Não fazem cá falta mais fascistas dos que por aí abundam, camuflados de “democratas”…