323: Como fotografar fogo de artifício de formas novas e criativas

 

FOTOGRAFIA DE FOGO DE ARTIFÍCIO

O fogo de artifício colorido em contraste com o céu nocturno é um espectáculo que muitos de nós consideram mágico. Então, porque não captar esse sentimento de encanto numa fotografia? Além de conseguir as melhores definições para fotografar fogo de artifício, é importante pensar sobre os outros elementos que tornam o evento e as suas fotografias especiais.

O fogo de artifício é mais frequente em ocasiões como a passagem de ano, aniversários especiais, casamentos e festas, ocasiões que geralmente são vividas com amigos ou entes queridos à sua volta. Por isso, incluí-los no enquadramento irá ajudar a captar o evento de formas divertidas e criativas.

Nas nossas sugestões abaixo, abordamos isto e muito mais, respondendo a 10 perguntas frequentes, incluindo como seleccionar a melhor velocidade do obturador para fotografar fogo de artifício e como usar novas ideias para obter algumas fotografias verdadeiramente únicas e criativas. Quer esteja a usar uma câmara PowerShot, uma câmara mirrorless ou uma DSLR, temos o seu guia para fotografia de fogo de artifício.

1. Qual é o melhor local para fotografar fogo de artifício?

É realmente útil pensar no local que o irá ajudar a captar as imagens mais poderosas possíveis. Por isso, planeie com antecedência e encontre um local sem obstruções. Verifique a localização enquanto ainda há luz do dia e descubra em que direcção o vento estará a soprar.

Isto é particularmente importante se estiver previsto haver uma fogueira por perto, pois irá ajudá-lo a evitar que o fumo ou as brasas entrem no enquadramento. Se planear usar um tripé, também recomendamos que se posicione num local elevado onde haja pouca probabilidade de outras pessoas se colocarem à frente enquanto fotografa.

2. Como posso fotografar o ambiente do fogo de artifício numa festa?

Uma boa forma de captar o ambiente de uma festa é fotografar os familiares enquanto se divertem com sparklers e utilizam a sua imaginação para criar padrões divertidos e artísticos com a luz. Na aplicação Guia de Fotografia da Canon, encontrará um tutorial completo que o acompanha pelas melhores técnicas e definições para a pintura com luzes.

Outra forma de criar uma fotografia interessante é captar o reflexo do fogo de artifício numa janela, enquanto amigos ou familiares olham para fora a partir do interior. Tire algumas fotografias de teste para se certificar de que as pessoas na imagem têm uma boa exposição e, em seguida, mantenha essas definições para quando a acção se desenrolar. Se estiver a usar uma câmara PowerShot como a Canon PowerShot G7 X Mark II ou qualquer câmara EOS de objetivas intermutáveis, certifique-se de que capta as imagens no formato RAW, pois isto irá proporcionar-lhe o máximo de flexibilidade ao ajustar a exposição de diferentes partes da imagem no pós-processamento, usando o software Canon Digital Photo Professional.

3. Como posso obter fotografias nítidas de fogo de artifício?

É difícil saber quando irão rebentar os maiores e mais brilhantes fogos de artifício, pelo que é uma boa ideia definir a sua câmara para um modo de disparo contínuo. Isto irá aumentar as suas probabilidades de captar uma ou duas imagens com rebentamentos particularmente dramáticos.

Se a sua câmara estiver num tripé, pode usar a aplicação Camera Connect da Canon para controlar a sua câmara sem fios, com o seu telemóvel ou tablet. Em alternativa, poderia usar um comando com ou sem fios, ou até a funcionalidade de temporizador automático da sua câmara. Todas estas opções irão permitir que accione a exposição sem tocar na câmara, o que irá ajudar a evitar a vibração da câmara, mantendo as imagens nítidas.

4. Como posso fotografar fogo de artifício sem um tripé?

Se estiver a utilizar uma câmara sem tripé, utilize o Estabilizador de imagem para manter as suas imagens nítidas (se a câmara ou a objectiva tiver Estabilizador de imagem). Isto irá ajudar a eliminar qualquer vibração mínima derivada de estar a segurar a câmara, mas tenha em atenção que isso pode reduzir a sua velocidade do obturador se fotografar no modo de Abertura.

Se houver um interruptor na objectiva da câmara, é possível que possa activar ou desactivar o Estabilizador de imagem na mesma. Caso contrário, pode fazê-lo através das definições de menu da sua câmara.

5. Qual é a melhor objectiva para o fogo de artifício?

Embora uma imagem repleta de fogo de artifício e nada mais possa ser impressionante, incluir alguns edifícios ou outras estruturas pode acrescentar interesse e contexto. As objectivas de zoom irão permitir também que varie as composições mais facilmente, o que é especialmente útil se utilizar um tripé. Uma objectiva de zoom grande angular, como a Canon EF-S 10-22mm f/3.5-4.5 USM ou a Canon EF 17-40mm f/4L USM, irá permitir-lhe colocar tudo no enquadramento. No entanto, pode também obter excelentes fotografias utilizando a objectiva numa câmara superzoom compacta, ou a objectiva do kit fornecido com a sua câmara.

6. Como posso focar ao fotografar fogo de artifício?

Ao configurar a câmara para focar a uma distância pré-determinada, não precisa de se preocupar sobre a focagem no ponto de captura e pode simplesmente concentrar-se em acertar em cheio na composição e na exposição.

Coloque a câmara em focagem manual ou mova o interruptor de focagem da objectiva para a posição MF e, para começar, ajuste a focagem para o infinito. Se a sua objectiva tiver uma pequena janela com diferentes distâncias de focagem, esta opção encontra-se no final, com o símbolo ∞. Provavelmente, é nesta posição que quer a focagem, se estiver concentrado em captar o fogo de artifício no céu.

Se pretender incluir elementos no primeiro plano da fotografia, foque um ponto entre o primeiro plano e o fundo, a cerca de um terço da distância total da cena, para que tudo fique nítido. Esta técnica chama-se focagem hiperfocal e pode ler mais sobre como encontrar a distância hiperfocal ideal na aplicação Guia de Fotografia da Canon.

7. Que definições devo usar para fotografar fogo de artifício?

Se estiver a fotografar sem tripé, comece com a velocidade do obturador mais lenta que pode usar sem introduzir vibração da câmara. As objectivas grande angulares são mais fáceis de segurar durante mais tempo, e as objectivas com Estabilizador de imagem (as que têm IS no nome completo da objectiva) ajudam bastante a manter as fotografias nítidas. Se estiver a utilizar uma câmara num tripé, pode usar uma velocidade muito mais lenta, como um ou dois segundos, como ponto de partida.

Ajustar o ISO depois de definir a velocidade do obturador e a abertura irá permitir-lhe obter uma boa exposição. Um ISO inferior, como ISO 100 ou ISO 125, irá resultar em imagens mais nítidas com melhores cores e menos ruído. As câmaras com sensores maiores, como as DSLR Full-Frame ou as câmaras mirrorless, irão proporcionar os melhores resultados.

Definir uma abertura não muito pequena, cerca de f/8, irá ajudá-lo a alcançar o máximo de nitidez sem comprometer a profundidade de campo para cenas com interesse no primeiro plano. Alargue a abertura para f/4 ou f/5.6 se suas velocidades do obturador forem demasiado longas.

8. Como posso captar formas de fogo de artifício?

O modo “bulb” da sua câmara permite-lhe manter o obturador aberto durante o tempo necessário, o que significa que pode captar o fogo de artifício enquanto o mesmo se move pelo céu e rebenta, deixando rastos de luz que mostram as suas formas impressionantes. Para usar o modo “bulb”, seleccione o modo manual ou a prioridade ao obturador e vá até ao final das opções, para lá de 30″. Prima o botão do obturador uma vez para abrir o obturador e novamente para o fechar.

É boa ideia usar um disparador com ou sem fios para iniciar e terminar a exposição como, por exemplo, o Canon BR E1 ou a aplicação Camera Connect da Canon.

9. Como posso obter a exposição correta para fogo de artifício?

Um céu escuro com o contraste de um fogo de artifício brilhante a rebentar é um cenário bastante atípico em relação aos seus motivos de fotografia habituais, e a sua câmara pode definir uma exposição demasiado luminosa para uma imagem nocturna de fogo de artifício. Se fotografar no modo manual ou num modo semiautomático como Prioridade à abertura ou Prioridade ao obturador, pode usar a compensação de exposição para evitar essa situação.

Procure o botão ou o ícone -/+ no ecrã e defina-o para cerca de -1 a -2. Se usar o modo manual, também pode verificar a escala do indicador de exposição no seu ecrã LCD, ou na parte inferior do visor da câmara, ao escolher uma combinação de definições que empurrem o indicador para o lado esquerdo da escala.

10. Como posso fotografar silhuetas com fogo de artifício?

Para fotografias criativas e invulgares de fogo de artifício, capte silhuetas de pessoas em contraste com a acção. É uma boa opção para experimentar ao início da noite, quando ainda há alguma luz no céu, pois as silhuetas irão destacar-se melhor. No entanto, se estiver a captar uma exibição particularmente animada e repleta de luz e de cor, isso pode proporcionar um plano de fundo suficientemente forte para as suas silhuetas.

Para este tipo de imagem, tem de pensar cuidadosamente na sua posição. Um local mais distante e uma objectiva grande angular irão ajudar a enquadrar muitas pessoas em contraste com o céu, enquanto a aproximação aos motivos e apontar a sua câmara para cima irá ajudá-lo a tornar as pessoas mais dominantes na sua imagem.

Certifique-se de que as suas definições de exposição transformam as pessoas em silhuetas. Se ajustar a exposição para o fogo de artifício, isto acontece normalmente com as definições sugeridas da câmara, embora possa precisar de utilizar compensação de exposição negativa para obter o melhor efeito (consulte a sugestão 9 acima). No entanto, tente não usar uma velocidade do obturador muito longa, uma vez que os seus motivos podem mover-se entretanto e estragar o efeito.

Escrito por Matt Golowczynski

Canon

 

322: 25.Dez.2019

 

Lisboa acordou com um Sol envergonhado mas quente e belo como só os astros conseguem transmitir a sua beleza. As nuvens, essas, são flocos de algodão a salpicarem o profundo do céu onde tanto mistério se esconde…

 

319: 14.Dez.2019

 

À hora de almoço, Lisboa encontrava-se assim:

 

 

318: 12.Dez.2019

 

Hora de almoço em Lisboa, Portugal:

 

 

317: 10.Dez.2019

 

Fim de tarde em Lisboa

 

316: Verdadeiro???

 

Andando a pesquisar pelo Youtube, deparei-me com  o vídeo que passo a seguir e que me espantou seriamente! É que tenho a mesma tele-objectiva da marca Samyang, o mesmo modelo de DF 650~1300mm e, ao contrário do que é mostrado no vídeo, duvido muito seriamente que tenha sido feito com esta tele-objectiva porque para tirar dúvidas e por sorte, o calhau (Lua) estava visível embora com algumas nuvens à mistura, mas deu para montar à pressa a montagem equatorial EQ3-2, o dovetail onde tenho uma rótula Mantona de bola e que costumo usar na fotografia lunar com a Nikon B500 e mesmo sem disparador remoto wireless, o resultado (tremido e com nuvens) que obtive com a Samyang 650~1300mm foi este:

Samyang 650~1300mm com DF 650mm

Samyang 650~1300mm com DF de 1300mm

que não tem nada a ver com o demonstrado no vídeo:

MOON WITH SAMYANG LENS 650-1300 mm

Shot with Samyang 650 – 1300 mm lens on Olympus OM-D E-M5.

Shot from 800 mm up to 1300 mm + 2 x Teleconverter (equivalent to 5200 mm on 35 mm)

a não ser que eu esteja redondamente enganado e este aumento seja obra da câmara Olympus OM-D E-M5, uma câmara mirrorless intercambiável cujo corpo custa € 719,00 (https://cameras.olympus.com/omd/en/). Também tenho um 2x tele-converter Dörr que aumenta a DF desta tele de 650 a 1300 e de 1300 a 2600mm, mas a qualidade das lentes não aguentam uma definição minimamente satisfatória. Esta Samyang custou-me em Espanha há uns anos atrás, cerca de € 249,99 mas agora tem outro nome: Gloxy 650-1300mm f/8-16.

Mas também já vi igual com a marca Walimex, Opteka e Rokinon.

Fico na dúvida…

 

315: 07.Dez.2019

 

Lisboa, Portugal, fim de tarde

 

314: Limpeza de sensor de uma DSLR

 

Dado os meus conhecimentos de fotografia, quer de reportagem em várias áreas, quer de laboratório, sempre utilizei este esquema para limpar os sensores das minhas câmaras DSLR que, maioritariamente são Canon. Pesquisando por um tema no Youtube, dei com este excelente vídeo da Cinemakers que aconselho vivamente a ver e para quem deseja limpar, com segurança, o sensor da sua máquina, sem ter de pagar a um técnico (ou empresa) essa tarefa.

Aconselho também, se não possuírem qualquer referência pessoal, a utilizarem este produto da Niobo, que custa € 16,90:

Green Clean Conjunto Limpeza Wet&Dry – Sensor APS-C – Referência : 114693

Atenção que para sensores full frame, a referência é outra:

Green Clean Conjunto Limpeza Wet&Dry – Sensor Full Frame – Referência : 114915

que custa o mesmo preço do kit para sensores APS-C.

 

313: 25.Nov.2019

 

Lisboa, meio da tarde de hoje

 

 

312: Ring Flash Aputure C60

 

Nas minhas deambulações pelo Youtube, encontrei um vídeo “unboxing” deste equipamento que já utilizo há uns bons anitos para fotografia do meu Blogue A Cozinha do Apokalypsus.

Resolvi publicar esse vídeo para quem estiver interessado:

 

311: 23.Nov.2019

 

Lisboa, Portugal, fim de tarde

 

 

310: 18.Nov.2019

 

Lisboa, Portugal, fim de tarde

 

 

309: 16.Nov.2019

 

O clima em Lisboa não tem estado favorável a sessões fotográficas. Mas sempre que existe oportunidade e tempo, sai uma fornada que pode ser minúscula como esta de hoje.