Jan 01
2017

954: No interior da Terra corre um rio de ferro

ESA

Rio corre a 3000 quilómetros de profundidade

Cientistas descobriram que há um rio de ferro a correr no interior do planeta Terra, quase tão quente como a superfície do Sol, e que se tem movido cada vez mais depressa. Este rio está a 3000 quilómetros de profundidade, por baixo do Alasca, nos Estados Unidos, e da Sibéria, Ásia.

O ferro líquido foi detectado pela Agência Espacial Europeia, que lançou três satélites da missão Swarm para investigar o campo magnético terrestre. As conclusões das observações foram publicadas este mês num artigo da revista Nature Geoscience.

O rio de ferro líquido tem cerca de 420 quilómetros de largura e percorre quase metade da circunferência da Terra. As últimas medições revelaram que corre em direcção a oeste a uma velocidade entre 40 e 45 quilómetros por ano, ou seja, três vezes mais rápido do que no ano 2000, segundo a New Scientist.

ESA

“Isto pode não parecer muito na superfície da Terra, mas temos de nos lembrar que este é um metal líquido muito denso e que é necessária uma grande quantidade de energia para o mover”, explicou à BBC, Chris Finlay, do Instituto Nacional do Espaço da Universidade Técnica da Dinamarca.

“Este é provavelmente o movimento mais rápido que temos no interior da Terra”, continuou o cientista. “Sabemos mais sobre o Sol do que sobre o interior da Terra”.

Os investigadores querem agora perceber porque o rio tem corrido mais rápido e o papel desta movimentação na criação do campo magnético da Terra ainda está a ser analisado.

Para já, defendem que o rio cria correntes elétricas importantes para a manutenção deste escudo que protege o planeta da radiação cósmica do Sol e das partículas electricamente carregadas que esta estrela emite.

ESA

O campo magnético da Terra altera-se constantemente e um estudo mais aprofundado do rio de ferro líquido pode ajudar a perceber e prever o seu comportamento.

“Se conseguirmos perceber como funciona o campo magnético, podemos entender como muda conforme o tempo e se vai enfraquecer ou reverter-se e quando”, explicou Phil Livermore, o investigador da Universidade de Leeds que liderou o estudo.

Os investigadores acreditam que podemos estar prestes a assistir a uma inversão polar, causada pelo campo magnético, que transformaria o Pólo Norte no Pólo Sul e vice-versa. Este acontecimento ocorre em intervalos de centenas de milhares de anos.

Diário de Notícias
29 DE DEZEMBRO DE 2016 | 16:54
android7Nugat300

0-android_marshmallow_240lollipop5.1 Android-4.4.4-KitKat

0-cyanogenmod_lolli511 jn11022013

qr code generator



1-portugal QRCode

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter
This entry was posted in imagens, informação, Terra and tagged , , . Bookmark the permalink.

Comments are closed.